Escola São Mateus

sao mateusA Escola Comunitária São Mateus foi fundada em 26 de março de 1984.

Devido ao crescimento demográfico fora de controle ocorrido nas décadas de 70 e 80 no município de Canoas, decorrente do êxodo rural e, sendo a nossa cidade - Canoas -, um paradouro que antecede a capital Porto Alegre, a escola surgiu nos fundos do bairro Harmonia - bem próximo ao Rio dos Sinos e a BR-448 (Rodovia do Parque).

Em meados de 1983, após fundar outras duas escolas, o Sr. Arno Borkert, atual presidente da associação mantenedora da escola, sentiu a necessidade de fundar uma nova escola, que para tanto teve o apoio do prefeito da época, Hugo Simões Lagranha.

Com algumas estacas e alguns rolos de arame farpado foi cercado o terreno de 10 mil metros quadrados, contando com a colaboração dos moradores que estavam chegando e com a intenção única de trazer para esse povo um alento, proporcionando uma mudança social através da educação.

De início, foram construídas duas salas de aula, com madeira reciclada de antigas casas, onder ali estudavam 97 crianças nos turnos manhã e tarde.

A escola funcionava como uma filial da atual Escola Martinho Lutero. A primeira diretora foi Etna Bierhals Borkert (1984-1986), depois Jorge Kieber (1986-1987), Vilson Klein (1987-1989) e Edmar Glinke (1989), que permaneceu dois meses na direção. Então, Waltair Jacobsen assumiu o cargo diretivo, permanecendo até hoje.

A origem do nome da escola vem do evangelista Mateus - um dos doze apóstolos - devido a mesma ser de cunho evangélico/luterano.

Do ano de sua fundação até o ano de 1991, a escola passou por grandes dificuldades em se tratanto de manutenção e encarando o grande desenvolvimento do bairro que se alastrava em proporções gigantescas, partindo do centro em direção às margens do Rio dos Sinos.

Dia após dia mais pessoas chegaram e surgiu a necessidade de novas salas de aula, com o objetivo de atender todos os filhos daquelas famílias vindouras dos mais distintos municípios do interior do Rio Grande do Sul.

As condições de vida eram - e ainda são em alguns locais - de muitas dificuldades devido às instalações precárias, ao acúmulo de lixo nos pátios, ao esgoto a céu aberto e à proliferação de ratos.

Com o passar dos tempo e as necessidades legais, foi criado uma Associação Comunitária que influenciou decisivamente nas inquietações relacionadas à vida escolar, com forte influência nas circunvizinhanças.

Os professores foram convidados a realizar visitas aos lares das crianças. O resultado foi espantoso. Em uma casa visitada, as paredes desparelhas apresentavam acentuadas frestas, "Chão de terra, dois tijolos cobertos por zinco como fogão e sem chaminé, pintando a peça de picumã. Móveis? Papelões em pé à noite transformavam-se em colchões. O caderno no chão para fazer as continhas e os temas de casa. Ao redor os irmãozinhos - de 3, 4, 5 anos - querendo "escrever" também. Isso foi quando tudo começou.

Ao longo dessa jornada até aqui, a escola compreendeu que é necessário educar para vida. As sociedades começam a cobrar do governo, os pais começam a ter consciência de que são responsáveis e participantes. "Precisamos educar para as prioridades". Assim, surgiu a mantenedora de nossa escola: a Associação Comunitária Integrada.